Será que cornudo tem compensações? - Biografias Eróticas

Será que cornudo tem compensações?

Isto é assunto muito importante, é da categoria supositório, mas só por conveniência, parece que isto finalmente é verdade, não há aqui surpresas, mentiras veladas, ou estudos esquisitos, para bem do macho latino português, os cornudos ou os não cornudos, a coisa parece ser localizada, lá para os lados da Itália, e aí só em certos sítios.

Foram avaliados os machos latinos italianos, os cornuti e os non cornuti, para descobrir o que se estava passando, de que uma parte deles andavam com enchaquecas, dores muito fortes na cabeça, e estranho que se pareça, só afectava os non cornuti italiani sofrendo desse mal.

E o problema era mesmo esse, é que não fazia sentido nenhum, então os non cornuti que são os responsáveis pela existência de cornuti, é que tinham o sofrimento, cresciam os cornos aos outros e afinal era a eles que lhes doía a cabeça.

Foi aí que uns professores italianos, académicos só com ideias, mas aqui verdade se diga, temos de dar a mão à palmatória, acharam que havia uma transferência, as dores do cornuti passavam para os non cornuti, quase obra de Deus, que castigava os pecadores, mas então só sofriam os non cornuti e porque não as mulheres dos cornutis?.

Uma corrente alvitrou que isto era só coisa de homens, melhor seria que lhes doesse a cabeça do que outra coisa pior, sei lá cair-lhes a pila, que isso seria maldade que nem a um pecador se destina, Deus certamente não faria isso, mesmo quem come a mulher do outro, merece o nosso perdão.


Reuniram então 100 non cornuti italiani e 100 cornuti italiani, ali para os lados de Nápoles, sitio que como a Sicília, era onde o mal mais afectava, porque havia que descobrir do porquê da coisa, fizeram-lhes então entrevistas a todos, e descobriram, bem à luz da razão, primeiro que os cornuti tinham cornos mas não sofriam, muitos deles se cagando nas mulheres, soltos livres por momentos, das garras malvadas do casamento.

Ah!! Mas havia mais, é que os non cornuti não tinham cornos mas davam o litro, a maioria deles encharcava-se em alimentos afrodisíacos, remédios estimulantes como ó caralho, a correr para baixo e para cima, preocupados se os cornutis viam ou não viam, e andavam desgraçados nesta correria, simples tudo para se descobrir, não era nenhuma epidemia, era só a natureza das coisas, os cornutis petiscavam, bebiam e jogavam às cartas, já os non cornutis, cansados, corriam, e fodiam.

Seria só isto? Era tudo afinal tão simples? Seria uma questão de cansaço, que depois se concentrava na zona da cabeça, não tinha nada a haver com transmissões de dor de cornos dos cornutis? Não não, nem pensar havia mais, havia o stress psicológico outra corrente descoberta, por estes génios avisados que a uma conclusão chegaram, não podia ser só da muita cona abundante.

Pois foi o acaso que cedeu, fez-se luz quando aconteceu, nos corredores de tanto saber, encontraram-se um cornuti e um non cornuti que tinham juntos, digamos a mesma mulher, um que era casado com ela, sem os benefícios poucos, que era o outro que explorava, viu-se terror no non cornuti que os professores acharam por bem definir.

"Então non cornuti, o que foi, o que se passa para esse terror?", respondeu ele, "foda-se!!! vocês trouxeram-me para o pé dele, e se ele me vê?", "ele quem?" não sabíamos, "ora quem o cornuti carallhii, o cornuti", foi então que se percebeu, mais simples era que o cansaço, ou das pastilhas que tomava.

O mau mesmo era o pai do cornuti, o pai da mulher do cornuti, os irmãos, tios, sobrinhos, avós, genros, e pior mesmo, as mulheres foda-se!!, as mães dos cornutis, as irmãs, avós noras, familiares deslocados e esquecidos, se se soubesse tudo que enganava e fodia a mulher do cornuti, que esperança de vida ele teria, nenhuma foda-se!!!

"E então se fosse o pai da minha mulher? e a mãe dela irmãs e irmãos e o caralho daquela gente toda, se soubessem que andava a comer a mulher de um cornuti, estava fodido, não sobrevivia, cortavam-me aos pedacinhos, e deitavam-me ao mar", tudo isto ficou registado nos trabalhos do estudo, que o non cornuti até se borrava quando dizia isto.

"Eles cortam-me o caralhiii do pescoço!!, e este non cornuti vai desta para melhor, percebem agora foda-se porque é que me doi o caralhiii dei corni?"", gritou ele.

A conclusão que se pode tirar é que na verdade este estudo, ou rastreio o que lhe queiram chamar, foi muito importante na detenção da cefaleia preventiva nos machos italianos non cornuti.

Por outro lado, passou de servir de indicador às mulheres casadas com non cornutis para avaliarem previamente se o cornuti anda armado em esperto a querer atrever-se a virar non cornuti.

Finalmente um estudo com sucesso sem supositório.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não deixe de comentar, o seu comentário será sempre bem vindo