Que falta de competências pra broches tesudos!! - Biografias Eróticas
Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseRussianSpanish

Que falta de competências pra broches tesudos!!

Nasci educado a procurar sempre o melhor, se queres alguma coisa não te contentes com o meio termo, e isso porra!! sempre deu muita pressão, mas sempre ia conseguindo, ter o melhor carro, a melhor casa, a melhor namorada, era pais, avós, a família toda, a xingar no ouvido "não se contente caralho!!, não dê mole coisa nenhuma, nós estamos analisando ...".

Mas leva tempo para perceber, é isso aí, que não há nada melhor mesmo melhor, e que nem tudo é perfeito como se quer, umas coisas são boas de um lado e outras assim do outro, e estou só falando isso para vocês aqui do confessionário, pra contar o que estou passando, e pra ver se eu tenho razão ou não.

Bom rapaziada, Mina era minha namorada, era um pouco burrinha, isso concedo, né, também pouco instruída, mas nossa senhora, nunca vi garota fazendo um broche tão tesudo, estou sabendo, ela já tinha nascido ensinada. Pode ser coisa hereditária, não sei, a boca dela, os lábios grossos, a língua, tudo, não lhe faltava nada.

E competência? rapaziada competência dela era fantástica, sabia como se abeirar do objeto, uma chupadinha aqui, um beijinho ali, os toques com as mãos, o cheirinho, o riso, forma como ficava sorrindo quando estava mamando, meninos, essa garota era demais, sabe, mamadas maravilhosas.

Ela depois perguntava, como é Roberto, vamos na foda agora, eu dizia logo pra ela "foda pra quê Mina?, depois dessa mamada que você fez, estou bem, né, você foi total garota, deu tudo, que maravilha".

E Mina estava sempre criando, não aprendeu só com a mãe dela, tinha sempre novas ideias, meninos, um dia fez unhas de gel, e me fez uma mamada agarrando meu pau assim com as pontinhas das unhas, foda-se!! que maravilha, parecia estar agarrando cálice, dando chupadinha gostosa, rapaziada essa menina me levava ao céu.

Depois disse pra meu pai, "sabe papai estou pensando casar com Mina", ele me respondeu furioso "você está maluco rapaz?", eles queriam o melhor, e Mina não se qualificava, "mas papai ela me faz broches que são uma maravilha, estou muito feliz", ele me dizia assim "estou lá pagando pra você casar com garota que faz bom broche garoto".

E foi isso pessoal, meu pai me arranjou uma doutora, Mariete, não tenham dúvidas, minha nova namorada é linda, muito inteligente e instruída, mas meu deus, suas competências de broche são uma desilusão e uma desgraça!!
Primeira vez que agarrou o meu pau, ela nem sabia como segurar, se devia dar uma firmeza, ou ficar boiando na mão dela, depois ficava olhando, se começava por cima ou por baixo, se chupava colhão ou não, se tocava e engolia pelo, fazia cena tirando com as pontas dos dedos, pois não pessoal, tive de ir falar com papai.

"Papai assim não dá, Mariete não tem competências, você sabe, é como você e mamãe, um bom broche, bem tesudo, é indispensável", bem rapaziada, meu pai ficava remoendo, não compreendia essa garotada, tantos anos na universidade, tantas festas e farra todos os dias, sendo estudante viajada, tinha ficado licenciada, lhe chamavam de doutora, e porra!! não sabia fazer broche?

"Você rapaz tá me dizendo que Mariete não faz bom broche?", "É isso papai, não tem competências pra nada, é uma desgraça", depois ele teve uma ideia, "pois é meu filho, você tem um dever, é sua obrigação meu filho, você vai ter que ensinar essa menina, ela vai ter de aprender a fazer broches tesudos senão está fodida.".

E é assim confessionário que minha história com Mariete começou sendo séria. Eu disse pra ela, "Mariete até gosto de você, mas tem de aprender broche menina, senão não dá", ainda pensei falar com Mina, ela podia ajudar ensinando ela, nos intervalos me dar uma casquinha, mas depois pensei melhor, que podia dar merda e ser pior.

"Mariete, eu mesmo ensino você", e foi assim, levei ela pra um sitio, um canto marroquino lá em casa, me lembrava de Mina fazendo me dando mamada, e disse assim "vai Mariete começa chupando, vou dando instruções e você vai executando, certinho, vai se põe aí de joelhos".

Ela estava olhando meu caralho, que parecia um cachorrinho, meio tonta sem saber o que fazer, "é assim agarra ele vai, com a mão, assim firme, mas sem estrangular, isso bem justo, vai, agora vai com a boca vai, dá uma chupadinha, imagina que está chupando gelado, aí na cabecinha, está vendo garota não é difícil".

"Você está chupando, mas sem graça Mariete porra!!, parece que está chupando bacalhau seco, não, abre essas pernas, vai, se acaricia na cona, pra você mamar bem, tem que se imaginar puta, vai Mariete, isso, está vendo, você está melhorando, me mama bem e eu chamo de você de minha putinha, quer?"

Bom rapaziada Mariete está se aplicando, não é Mina que isso é impossível, mas me anda mamando melhor, quando lhe chamo de puta, assim "minha doutora é uma puta boa", Mariete se altera, logo logo parece outra, chupa bem, respira quando engole, expira quando tira, está adquirindo algumas competências de broche tesudo.

Mas já disse pra ela, "menina, devagar, né, Roma não se fez num dia", mas já vejo ela desenvolvida, me agarra no caralho sem surpresas, me dá uma mamada mais ou menos, a porra!! é que agora está mesmo ficando puta, Mariete só pensa em chupar, e não quer outra coisa.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não deixe de comentar, o seu comentário será sempre bem vindo