Contos Eróticos de Carnaval # Cabrita sabe sambar - Biografias Eróticas
Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseRussianSpanish

Contos Eróticos de Carnaval # Cabrita sabe sambar

Senhor Arnaldo conta ao Biografias Eróticas como tem sido:

É isso aí galera, homem que se junta com uma bela de uma mulata, ainda por cima brasileira, cabritinha, de olhos verdes, é fogo, gente, sabe com isso vêm coisas maneiras, mas é preciso compreender, né, homem que tem mulata boa também carrega no prejuízo.

Vejam só isso caras, tenho cinco filhos com a Goretti, os carinhas me chamando de papai, a Goretti me dizendo "não desconfia, meu filho, são todos seus", mas nenhum se parece comigo, sabe, dois são assim negões, bem pretos, um parece o Evo Morales, meio índio, sabe, outro tem cara de português, e o outro mais pequeno, nem sei bem, ainda estou tentando compreender, não é índio, preto, branco, nem merda nenhuma.

Mas galera estranho mesmo é que nasceram todos em outubro, sabe, e pus-me fazendo contas, bem difíceis, e descobri, os carinhas todos foram feitos no Carnaval, Goretti andou fodendo, fodendo e sambando, e agora tenho esses delinquentes aí todos em minha casa, me fodendo a cabeça e a carteira.

Mas aí galera, não sou parvo, sou mesmo corno, sabe, Goretti me anda enganando, mas só que adoro ela, aquele corpinho de menina, uma bundinha maravilha, maminhas perfeitas, uma alegria na minha casa, e digo aí pró pessoal, nunca me faltou nada, digo pra ela "ei menina tou precisando", e coisa não falha, só abrir a boca, e tou na cama fodendo ela.



Mas Goretti, gente, a mulher endoida no Carnaval, passa a noite na escola, pra sambar na avenida, bem maluca e oleada, Goretti é assim, pavoneada, e quando dou conta, pessoal, está fodendo a desgraçada.

No outro dia fui pra escola, já era noite bem longa, é que Goretti não vinha, estava me preocupando com ela, essa menina anda aí sozinha, e que é que encontrei galera, um bacanal, isso aí, enquanto uns batiam um sambinha, uns caras comiam as meninas, ouvi eles rindo cá fora, um cara manhoso dizendo, que era pra enturmar, sambinha fodido corria melhor.

Galera fiquei fodido, né, que merda é essa de enturmar fodendo mulher dos outros, apanhei Goretti lá ao fundo, um mestiço lhe comendo a buceta, pensei logo "mais um filho mestiço", ela dobrada e eu escondido, o cara agarrado ao cu dela, estava danado com ela, mas me dando prazer vê-la, ela estava gostando.

Vi o cara mestiço puxá-la mais pro lado, dobrou-a assim pra baixo, vi Goretti a virar-lhe o rabo, o mestiço apontou-lhe o caralho, Goretti assim de boca aberta, quando lho meteu no cu, ela mandou-se pra trás, bem galera gostei tanto de ver, aquele menina nasceu pra foder, quando estava assim doidona virou a cara e viu-me a mim, não fez nada ficámos assim olhando, até que começou a gemer e a vir-se toda.

Galera eu estava assim não sei como, esperei por ela cá fora, ela veio até mim, me dizendo assim "Arnaldo meu querido vamos pra casa", eu silencioso o que é que vou falar?, me disse ela "sabe querido este corpinho precisa de muita administração, e eu preciso administrar né?". 

1 comentário:

Não deixe de comentar, o seu comentário será sempre bem vindo