Que corno tão preguiçoso - Biografias Eróticas

Que corno tão preguiçoso

Fazia algum tempo que a minha mãe andava rondando, eu e Tiago fazíamos um ano de casados, e ela queria saber como as coisas andavam, e então perguntava "então filha, seu marido anda dando conta do recado? até que vejo você feliz", e eu não podia dizer o que estava acontecendo, Tiago tinha mudado muito, no namoro era mais ativo, mas agora depois de casado, estava completamente apagado.

Mês a mês foi-se alterando, não queria fazer nada, nem trabalho nem porra nenhuma, numa altura estava desesperando, ainda pensei que tinha outra, lhe perguntava "Tiago, será que deixou de gostar de mim?", ele dizia "não meu amor, adoro você", eu pedia então a ele, "mas Tiago, você nunca mais fodeu, vem meu amor, vem comer sua mulher", e ele saiu dizendo, "não meu amor dá muito trabalho, veja só, despir, lamber você, levantar pau, meter o pau na sua cona, depois estar ali fazendo esforço, não meu amor isso dá muito trabalho, meu amor".

E foi então que descobri, Tiago era um preguiçoso, mas num grau evoluído, calão mesmo como se diz, não mexia em nada e se cansava, fazia tudo para ele, o cara nem trabalhava, até um broche que lhe fazia, achava ele, gastava muita energia.

Um dia contaram pra minha mãe, viram Elautério sair lá de casa, o rei da sacanagem e da foda, bem conhecido da mulherada, comia tudo o que passava, minha mãe disse "ei Maria, D. Josefina viu o Elautério de noite saindo de sua casa, e Tiago estava lá? Olha que esse menino não é flor que se cheire, não pode estar perto de mulher casada, menina, põe ele fora, Tiago não vai gostar", não dava mais para guardar, e foi então que contei.

"Oh mãe, Tiago é muito preguiçoso, mãe", "Como assim, filha?", "Não fode mãe, diz que dá muito trabalho", "Mas esse homem está maluco? Trabalho?", "Diz ele que gasta muita energia, fica cansado", e foi então que lhe disse, um dia o Elautério passou lá perto, eu estava fervendo por dentro, bem assim no meio na cona, chamei ele lá para casa, Tiago andava metido na tasca, "e foi assim, mãe, mamei no Elautério e ele me fodeu, foi mesmo bom, mãe".

"E Tiago, ele sabe?", perguntou a minha mãe, "Sabe, mãe, agora sabe", contei-lhe que uns dias depois o Elautério voltou lá a casa, estava me comendo o cu e eu toda danada, nem dei conta que Tiago entrou, passou no quarto dos fundos, "e sabe o que ele disse, mãe?", "conta filha conta", "que nós estávamos fazendo muito barulho, que queria descansar", "Tiago disse isso? e viu o Elautério comendo você filha?", contei-lhe que Elautério me estava enrabando, enterrando bem fundo no meu cu, eu estava gemendo doida, daquele pau grosso me fodendo, e nem liguei pro Tiago, disse para ele "vai amor vai descansar".


"E isso faz quanto tempo?", perguntou a minha mãe, "faz alguns meses, e mãe, está funcionando sabe", disse-lhe que o Elautério chega, Tiago está a ver televisão, só não quer ser incomodado, às vezes entra no quarto, diz ele, quer ver se está tudo bem, me viu mamando o Elautério, o pau grosso na minha boca, ou ele entrando na minha cona, só não posso gemer alto, Tiago não gosta de ruído, cansa muito o ouvido, e depois que estou satisfeita, o Elautério vai embora, e eu regresso para o meu marido.

Contei-lhe que de outra vez, Tiago entrou no quarto, me perguntando "onde está minha cueca", Eleutério estava em pé, com o pau assim bem teso, dentro da minha boca mamando, tirei e disse assim para ele, "vê ali, está aí amor", ele foi agarrar a cueca, "e é assim, mãe, continuei chupando".

"No outro dia, sabe o que ele me perguntou, mãe?", "O quê, filha?", "Se Elautério se estava portando bem, se estava dando conta do recado?", ela me respondeu que meu marido era mesmo corno, tão preguiçoso que até ser corno dá trabalho, ele nem queria ver nem estar ouvindo, a sua mulher sendo comida.

E eu disse que até tinha perguntado, se ele queria gostava de ver, ficar assistindo Elautério a me foder, "e sabe o que respondeu, mãe?", "diz-me filha", "que para ele estava  tudo bem, só que não fizesse barulho, nossos gemidos incomodavam, estavam perturbando o seu descanso.

Depois minha mãe perguntou, "mas então Elautério? como é ele?", minha mãe sempre foi muito safada, ouvia coisas de Elautério, que outras mulheres falavam, que ele tinha um pau grosso e bem comprido, nunca se cansava ou esgotava, podia ficar horas fodendo, cona e cu me martelando, "ai mãe vou lhe dizer, adoro dar o cu pra ele, Tiago está lá na sala, e ele me partindo o cu lá no quarto, até doer, mãe, até doer".

"Quando ele me enterra o pau grosso no rabo, mãe, solto sempre um grito", contava-lhe, sabíamos que Tiago não gostava, um dia entrou no quarto, e ele disse assim, "Eleutério quer foder ela sem problema, mas por favor, se liga, não faz barulho que não gosto, se quer vá lá pró fundo na barraca", isso aí é um espaço no quintal, bem distante da casa, mas aqui foi Eleutério que não gostou, ele quer me estar comendo o cu, com Tiago ali bem perto vendo.

Mas agora está complicando, Tiago não está gostando, de muito movimento de Eleutério, fica entrando e saindo da casa, abrindo e batendo porta, isso faz barulho e incomoda, "mãe, Tiago já me disse, arranja aí um quarto para ele, para não ficar saindo e entrando a toda a hora".

Minha mãe respondeu logo, "vai que esse corno até que é esperto, né, pensando em tudo".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não deixe de comentar, o seu comentário será sempre bem vindo