Espelho meu, que belo cu tenho eu - BIOGRAFIAS ERÓTICAS
Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseRussianSpanish

Espelho meu, que belo cu tenho eu


Não é que tenha uma má relação com espelhos, não é assim!!, eu sempre gostei de espelhos, apesar de ter uma imensa dificuldade em entendê-los como objeto útil, pense-se que é a única maneira de nos vermos como um todo, pelo menos fisicamente, e para os inteligentes, intimamente, entrando dentro dos nossos próprios olhos.


Os espelhos todos eles assustam um pouco, como se tivessem olhos e a partir deles estivesse sempre a ser vigiado, ou, por não ser, como se diz, fotogénico, me enganarem e fazerem de mim uma pessoa mais feia do que realmente sou.

Mas ainda assim eu tenho sorte!!

A única parte de mim que é verdadeiramente fotogénica, e até um motivo de orgulho, é o meu cu.

O resto é para esquecer. Adoro ver o meu cu no espelho, e sei que o espelho não me engana, o meu cu recebeu sempre muitos elogios.

Mas isso é uma história que posso contar mais à frente!!

Em casa, para além dos funcionais, aqueles que se têm mais à mão para as necessidades vulgares do dia a dia, na casa de banho, etc. nós sempre tivemos um espelho de proporções não convencionais.

O quarto de dormir da minha mãe tem um desses que apanham uma parede de um lado ao outro, e de cima a baixo.

Demorei algum tempo a perceber porquê. Primeiro pensei que fosse para ela se ver melhor ao espelho, depois para fazer exercícios aeróbicos, depois, sempre ingénuo, para refletir mais luz pela casa toda, até que finalmente percebi.

É mesmo para foder!!

Aliás, para ela, a utilidade de um quarto só para dormir parece-lhe um profundo desperdício. Tanto espaço sem ocupação diurna quando devidamente equipado e decorado pode servir para tanto mais.

As minhas duas irmãs sempre gostaram muito daquele quarto espelhado, não se contentando com as portas espelhadas dos roupeiros. O meu pai que dorme num quarto à parte só lá entra com marcação prévia. Eu entrava lá quando a oportunidade o permitia e as possibilidades se concretizavam.

Hoje em casa, eu e a minha mulher, já temos os nossos espelhos, uns ainda maiores de parede a parede de lado e no teto. Com a diferença que eu ainda durmo naquele quarto, também.

Os meus dois filhos não os estranham, eles aprenderam cedo a razão daquela decoração e a sua utilidade.

Porquê e para quê esta coisa dos espelhos?

Os espelhos potenciam e geram uma espécie de efeito turbo sexo, não me perguntem porquê, fará parte da nossa natureza?

A minha mulher, por exemplo, gosta de colocar-se de maneira a estar a olhar para o espelho quando eu a estou a penetrar ou ela me está a chupar o pau.

Eu reconheço que é mais um sentido a participar no ato, para ela ver o pénis, meu ou de um outro parceiro, a enterrar-se na vagina ou no cu dela, que a estimula ainda mais.

Como eu dizia lá para cima, os espelhos são a única maneira de nos vermos como um todo, como se diz por aí, de nos vermos “em direto”.

Sendo nós um casal com algumas experiências “mais liberais”, é para o espelho que olho mais quando a minha mulher está a ser fodida por outro parceiro.

A foda deixa de ser apenas um ato físico, o de friccionar um pau numa zona apertada, até que gera uma “reação vulcânica” e rebenta, para se tornar também num ato do espírito, onde intervêm todos os sentidos e o cérebro.

Sei que também a minha mulher tem prazer em observar de vários ângulos através dos espelhos tudo o que está a acontecer quando sou eu o ator principal do ato, com parceiros, sejam homens ou mulheres.

Com os espelhos e o tempo, eu até descobri nela um gosto especial. Poderia ser indesejável ou impróprio, mas quando ela viu passou a desejá-lo. A minha mulher adora ver pelos espelhos outros homens a penetrar-me o cu.

Eu não tinha dito que o meu cu é fotogénico e que recebi muitos elogios por isso?

Pois!!, não é nada que eu só tenha recebido da minha mulher, aconteceu muitas vezes antes, mas há poucas coisas tão estimulantes quanto ouvir a nossa mulher ao mesmo tempo que outros homens nos estão a foder dizer que temos um cu bonito.

E os espelhos? Às vezes são traiçoeiros?

É verdade, muito traiçoeiros, mas nas vezes que importam são agradavelmente traiçoeiros.

A minha irmã Carlota, por exemplo, que sempre teve (ou herdou) uma certa inclinação para puta, ela elevava a utilização do espelho a um patamar superior.

Ela fazia-o na casa dos pais, com a incursão constante ao quarto da minha mãe, e pelo que sei, ela continua a fazer o mesmo na casa dela com o seu atual marido.

Explicando melhor, para ela, normalmente os quartos de dormir não têm portas, para além da inclinação para puta, ela tem também a tendência de ser apanhada a foder, em pleno ato, por homens que não são os seus namorados, ou como acontece agora, pelo atual marido.

E como? Ela deixa propositadamente a porta entreaberta, não muito para não estragar a surpresa, só a nesga suficiente que dê para ver o que se passa lá dentro, para que o potencial corno a veja quando ele chega a casa, através do espelho a ser fodida, e que depois ele se decida, ou a aprecia no momento, ou faz um escândalo e corre com o outro.

Mas isto da Carlota, é uma coisa à parte, em algum momento ela percebeu que podia ter créditos com essa ideia e, como sempre, cada vez mais puta, ela evoluiu.

Pior foi para mim, e sem qualquer intenção!! Pensava que ninguém estava em casa e não me preocupei em fechar totalmente a porta, só a encostei.

Naquela altura, nós tínhamos um empregado que fazia alguns trabalhos ocasionais na casa, como aparar sebes e outras pequenas tarefas. Normalmente, se eu o conseguisse seduzir, eu iria com ele para um anexo que tínhamos no jardim.

O problema é que o seduzi, mas não o levei para o anexo, mas para o quarto espelhado da minha mãe. Todos tinham saído de casa cedo e a previsão de regresso era quase à noite.

O trabalho que ele fazia era logo pela manhã, de maneira que após semanas de espera, estando a casa totalmente vazia, eu poderia levá-lo para aquele quarto e foder com ele.

Quando nós entrámos no quarto, eu reparei que ele ficou não só muito impressionado, mas também muito excitado. A visão de me estar a comer o cu e ao mesmo tempo estar a ver o pénis dele a entrar e a sair, deixou-o logo ereto e motivado para me foder.

Ele baixou o calção e tirou-o, e eu vi o pénis duro a saltar para fora quando ele o fazia, e logo logo quando eu também me despi, nós começámos a foder, ele em cima de mim a cavalgar-me, e a enterrar o pau dele no meu ânus todo aberto.

A visão da foda através do espelho deixou-nos tão estimulados que não demorou muito que ele se viesse para cima de mim e eu também.

Até aqui tudo bem!! O problema é que nem todos tinham saído de casa. A minha mãe estava no escritório e ouvindo pessoas em casa, mais do que isso, a ofegar, percebeu logo que alguém estava a foder no quarto dela.

Foi junto da porta e pela nesga apertada, ela olhou para o espelho e viu o pénis do jardineiro a foder-me o cu, ela não disse nada, mas eu percebi, que estando ela em casa, ela tinha visto tudo.

O jardineiro, esse, não foi despedido!!



Sem comentários:

Publicar um comentário

Não deixe de comentar, o seu comentário será sempre bem vindo