Amor, me chama nomes, eu gosto - Biografias Eróticas
Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseRussianSpanish

Amor, me chama nomes, eu gosto

Não é que soube de você confessionário, e vim logo correndo contar meu segredinho, tenho feito força para aguentar, fica sabendo que pra você meu nome é Maria Fernanda, não interessa tanto onde vivo ou o que faço, mas mais o que venho pensando, deste inferno que me aflige sempre que vejo homem bonito.

José meu marido nem sonha, que tou traindo ele todos os dias, só em pensamento me entenda bem, vejo homem bonito me fico lambuzando, na minha cabeça palavras correndo, "meu deus que bonito, olha lá ele tão fornecido, deve ter um caralho bem grande, bem bom e me fodia toda", sou eu sonhando, está vendo, confessionário.

Não é só esses pensamentos, que diabo entrando em mim, estou sempre imaginando palavras, das mais porcas que eu gosto, gostava tanto que José me fodesse, me chamando de puta e galdéria, de vaca me entesando toda, ele me entrando na cona dizendo, "sua lambisgóia você anda fodendo, sua vagabunda e sua vadia, lhe martelo essa buceta toda".


Estava no boteco na noite, nas mesas da rua sentados, eu e José gozando um tempo juntos, passa por ali um menino, se gingando bem composto e lindo, comecei logo vendo coisas, ele me enrabando toda, falando assim bem alto junto "que bela bunda você tem, lhe vou partir ela toda, sua puta desgraçada", ele me enterrando o caralho fundo, eu de boca aberta pra ele "cara safado você é, me fode toda querido, que estou gostando tanto".

Continuo imaginando coisas, ele miúdo me falando "está gostando de enganar seu marido, né, sua desgraçada, desalmada, lhe vou partir esse cu todo, sua galdéria", ele me comendo e eu vendo, meus papos em baixo molhados, estava toda encharcada, rijos e duros se entesando, meu ânus aberto relaxado, meus mamilos se espetando, "vagabunda se abre toda vai vadia, gosta do meu caralho grosso gosta gosta, lambisgóia", José me acorda dizendo "oiii! garota você tá toda vermelha, porra!! o que tá acontecendo".

José é muito puritano, muito conservador evangélico, me diz muitas vezes "olha sua filha com mini-saia, mostrando perna pra garotada, calça apertada cu em cima, mais parecendo uma puta", eu não ligo e lhe fui pedindo "me chama nomes José, eu gosto quando estou fodendo, me chama de vaca vai, que sou sua putinha amor, que sou galdéria e vagabunda", mas ele fica insistindo, "Fernanda se dê ao respeito, não seja assim não gosto, Nosso Senhor está ouvindo", assim só sonho confessionário.

Quando há futebol com o Palmeiras, vai lá a casa o Fernandinho, eles ficam bebendo e fumando, vendo televisão e gritando, chamando nomes ao árbitro, aos jogadores que ficam falhando, quem me dera fosse a mim, os dois me fodendo junto, fecho os olhos e sonho, "Zé sua mulher é mesmo vaca", Fernandinho se rindo, metendo o caralho na minha cona, "fode essa puta menino, dá-lhe aí na bunda também, essa safada gosta", Fernandinho me abrindo toda, e ali meu Zé vendo, "Vai Fernandinho fode essa vadia, só pensa em caralho".

Fernandinho tem um grande volume, já me apanhou olhando ele, safado me sorrindo e percebendo, que estou mirando e imaginando, o caralho dele bem grande e teso, sempre ele me olhando a bunda, fui no banheiro me mexendo, o rabo movimentando, me fui no clitóris tocando, sentia o cheiro do Fernandinho, encostado no meu cu me falando, "vadia, você é mesmo puta, quer levar com ele, danada, vou enrabar você", eu lhe sussurrando "me enraba safado malandro vai".

Me encostava de olhos fechados, meus dedos molhados rodando, no meu clitóris húmido brincando, gemia de prazer deitada aflita, via Fernandinho me fodendo, me abria o cu todo me enterrando, o caralho grosso bem dentro, me agarrava as nádegas me esmagando, na parede fazendo força, eu pra ele  gemendo "oh Fernandinho porra, me fode, cachorro, aihmm, malandro, me come toda Fernandinho".

Ele se mexendo me zunindo, "foda-se Fernanda você é mesmo vaca, sua relaxada, sua piranha", as ancas dele se movendo, minhas nádegas abertas lhe oferecendo, o meu cu aberto pro caralho dele, "sua puta, vagabunda, enganando maridinho, desgraçada, vou dar cabo dessa buceta toda, vadia, ordinária", "me chama mais Fernandinho me chama de puta", "ordinária, sua puta, vaca miserável".

"Eh Fernandinho onde você anda?", parece que ouço José gritando, sai Fernandinho dizendo "já vou Zé tou acabando aqui, meu irmão", ele me fala no ouvido "vem sua puta, me chupa o caralho, vai, vou meter meu caralho na sua boca, galdéria, ordinária, lhe vou dar com a porra toda, chupa aí sua desgraçada", olho para ele mamando, rindo com minha língua brincando, com o caralho dele na boca,  batendo bem nele punheta, "malandro, Fernandinho está gostando, da sua putinha garotão?".

"Me dá o leitinho vai", dizia eu para ele, "vou foder essa boca toda, me mama vai sua puta, me mama vai força sua vaca, está gostando né sua safada, enganando marido imaginando, até que acordo com "gooooolo, do Palmeiras", são esses dois gritando, José dizendo alto "vai Fernanda amor, traz cerveja pro Fernandinho, ele está gostando, me dizendo que você é uma mulher e tanto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não deixe de comentar, o seu comentário será sempre bem vindo